• (11) 3312-5299
SINDICATO DOS TRABALHADORES DA PRODUÇÃO, TRANSPORTE, INSTALAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE GÁS CANALIZADO DO ESTADO DE SÃO PAULO

CUT-SP participa da campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência à Mulher

25/11/2019
A partir da próxima segunda, dia 25 de novembro, mulheres de várias partes do mundo iniciam a campanha 2019 pelos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher. A CUT-SP, por meio da Secretaria da Mulher Trabalhadora e de seus sindicatos, participa das atividades que serão realizadas no estado de São Paulo.
 
Essa campanha mundial é organizada pela ONU e vai até 10 de dezembro, data em que foi proclamada a Declaração Internacional dos Direitos Humanos.
 
Em São Paulo, uma agenda de lutas está sendo construída para marcar a campanha, que terá início com um ato na segunda, dia 25, em frente ao Masp, na Avenida Paulista. A concentração terá início às 16h. A CUT-SP orienta os sindicatos a participarem da atividade.
 
Outra ação prevista é um debate e exibição do filme “Torre das Donzelas” no Sindicato dos Bancários de São Paulo. A produção, dirigida por Susanna Lira, revisita a história de um grupo de mulheres quarenta anos após serem presas durante a ditadura militar na Torre das Donzelas, como era chamada a penitenciária feminina, ao lado da ex-presidente da República Dilma Rousseff.
 
O filme será exibido, gratuitamente, no dia 4 de dezembro a partir das 17h na sede do sindicato (Rua São Bento, 413, centro de São Paulo). Cida Costa, Rita Sipahi e Guida Amaral, algumas das mulheres presas pelo regime militar, estarão presentes para o debate.
 
Já no dia 10 de dezembro uma aula pública sobre a violência contra as mulheres está sendo preparada no centro da capital paulista. Local e horário serão divulgados em breve.
 
Violência
 
Segunda a pesquisa “Visível e Invisível: a vitimização de mulheres no Brasil“, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 27,4% das brasileiras acima dos 16 anos passaram por algum tipo de violência em 2018.
 
Outro dado alarmante é sobre os casos de feminicídio (homicídio praticado contra a mulher em decorrência do fato de ela ser mulher) no estado de São Paulo. De acordo com levantamento do site G1, só no 1º semestre deste ano, os casos de feminicídio aumentaram 44%, sendo que a maioria dos assassinatos (73%) ocorreu dentro de casa.
 
“Somos o 5º país no ranking mundial de feminicídio, mas isso parece não ser o suficiente para fazer o governo discutir ações de combate à violência. Pelo contrário, temos que permanecer nas ruas lutando para que, inclusive, não tenhamos retrocessos em leis com a da Maria da Penha”, afirma a secretária da Mulher Trabalhadora da CUT-SP, Márcia Viana.
 
Origem da campanha
 
Os 16 dias de ativismo começaram em 1991, quando mulheres de diferentes países, reunidas pelo Centro de Liderança Global de Mulheres (CWGL), iniciaram uma campanha com o objetivo de promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres no mundo, segundo a ONU Mulheres Brasil.
 
No Brasil, a Campanha ocorre desde 2003 e é chamada 16+5 Dias de Ativismo, pois incorporou o Dia da Consciência Negra. A mobilização termina em 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. Cerca de 150 países participam da campanha.
 
A data é uma homenagem às irmãs Pátria, Minerva e Maria Teresa, conhecidas como “Las Mariposas” e assassinadas em 1960 por fazerem oposição ao governo do ditador Rafael Trujillo, que presidiu a República Dominicana de 1930 a 1961, quando foi deposto. Em 1981, em Bogotá, Colômbia, durante o 1° Encontro Feminista Latino-Americano e Caribenho, o 25 de novembro foi incorporado ao calendário de lutas das feministas do continente, como o dia Latino-Americano e Caribenho de Luta contra a Violência às Mulheres.
 
Agenda (em atualização)
Dia 25/11 – Ato Basta de Violência contra as Mulheres
16h, no Masp (Avenida Paulista)
 
Dia 4/12 – Debate e exibição do filme “Torre das Donzelas”
Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região (Rua São Bento, 413, centro de SP)
17h – Debate
18h – Exibição do filme
 
Dia 7/12 - 3ª Roda de Samba da Resistência – Em homenagem às mulheres
13h - Quadra da Nenê de Vila Matilde: Rua Júlio Rinaldi, 1 – Vila Salete, zona leste
Entrada: 1 kg de alimento não perecível
 
Dia 10/12 – Aula pública (local e hora a confirmar)
  Voltar
X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok