• (11) 3312-5299
SINDICATO DOS TRABALHADORES DA PRODUÇÃO, TRANSPORTE, INSTALAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE GÁS CANALIZADO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Cresce adesão de artistas ao movimento #EleNão contra o fascismo

25/09/2018
Neste fim de semana, artistas do Brasil do exterior foram às redes sociais convocar as mulheres a unirem contra o racismo, a homofobia, a misoginia e a intolerância representada pelo candidato Jair Bolsonoro (PSL) e seus seguidores. A hashtag #EleNão foi uma das mais usadas no Brasil.
 
O movimento começou a crescer no meio artístico depois que Sasha Meneghel colocou no Instagram um texto contra os riscos de se eleger um candidato de extrema direita e foi ofendida nas redes por seus seguidores.
 
A onda feminina contra o ex-capitão ultrapassou as fronteiras do Brasil, quando várias artistas começaram a desafiar as amigas a se posicionarem e chamarem todas as mulheres a irem às ruas no próximo dia 29 para participar do ato mundial “Mulheres Contra Bolsonaro”. O evento já reúne mais de dois milhões de mulheres no Facebook.
 
A primeira a se pronunciar foi a cantora Daniela Mercury que usou seu Instagram, neste domingo (23), e lançou o desafio para todas as mulheres do Brasil a se posicionarem, especialmente a cantora Anitta que vinha sendo cobrada pelos seus fãs por ter curtido a página de uma amiga que é seguidora de Bolsonaro.
 
#EleNão porque ele é machista, ele não porque é homofóbico, ele não porque é racista, ele não porque é um atraso para nossa democracia
- Daniela

Anitta, que também vinha sendo pressionada pela comunidade LGBTI+ que ameaçou a boicotá-la, caso não se posicionasse sobre a corrida presidencial, aceitou o desafio e publicou um vídeo em seu Instagram contra o candidato machista.
 
Quero aproveitar essa oportunidade para deixar claro, de uma vez por todas, se ainda não ficou, que eu não apoio o candidato Bolsonaro
- Anitta

 
Quem também publicou um vídeo no Instagram que já conta com mais de um milhão de visualizações foi a cantora Marília Mendonça, que desafiou a dupla Maiara e Maraísa e a cantora Gal Costa.
 
A gente não precisa desse retrocesso
- Marília Mendonça

 
Também desafiada, outra artista a declarar apoio à campanha foi Letícia Sabatella. Em seu vídeo, Leticia convocou a população para as manifestações contra o candidato do PSL neste sábado.
 
Outras atrizes como Leandra Leal, Sophie Charlotte, Nathalia Dill, Leticia Spiller, Bruna Marquezine, a apresentadora Astrid Fontenelle, as cantoras Liniker e Maria Cadú, entraram na corrente contra o fascismo que a candidatura de Jair Bolsonaro representa.
 
APOIO INTERNACIONAL
 
A campanha #EleNão também ganhou adesão internacional. Os jornais BBC, The Guardian e Bloomberg noticiaram a campanha brasileira que mobiliza artistas dentro e fora do país.
 
Quem também aderiu à campanha foi a drag queen Shangela, o DJ Diplo e o vocalista da banda Imagine Dragons, Dan Reynolds.
 
Isso não representa o Brasil que eu conheço e amo
- Dan Reynolds

No México, o ator da novela Rebelde, Alfonso Herrera, reproduziu uma ilustração com tag #EleNão.


 
  Voltar
X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok